04/01/2019 | 09:30

MENINO DE AZUL, MENINA DE ROSA Líder LGBT, vereador em MT avalia que preconceito vai aumentar

Maurício Gomes, de Sorriso, diz que medida era esperada porque Bolsonaro foi eleito com esse discurso

O vereador de Sorriso (distante 399 km de Cuiabá) e liderança LGBT em Mato Grosso, Maurício Gomes (PSB), manifestou-se bastante apreensivo quanto às primeiras medidas tomadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL), que retirou pautas de gênero do âmbito dos direitos humanos, e especificamente pelos brados da ministra Damares Alves, do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, afirmando em vídeo que “menino veste azul e menina veste rosa”. A ministra é bastante aplaudida por apoiadores nas imagens, uma bandeira de Israel ao fundo. “O país vive uma nova era”, disse ela.

Para Maurício Gomes, entretanto, um dos primeiros políticos assumidamente gays de Mato Grosso a conseguir um mandato eletivo, o efeito das palavras de Damares e do próprio Bolsonaro devem ajudar a aumentar ainda mais o preconceito contra gays, lésbicas, travestis, transexuais e transgêneros. “Devemos focar no que realmente importa, que é estabilização da economia, segurança pública, saúde, educação e direito à liberdade, que estão na constituição federal. Isso é um retrocesso, um descaso e um preconceito”, disse Gomes ao FOLHAMAX.

Ele adverte, porém, que não há surpresa. “Ele se elegeu pregando a importância do preconceito. Infelizmente,  muitos pensaram que eram palavras ao vento, porém agora estamos confirmando tudo o que ele falou nas redes sociais durante a campanha. Acho que viveremos um período conturbado em que temos que fazer com que os direitos adquiridos não escorram pelos vãos dos dedos como areia”, continuou.

Damares reagiu à repercussão do vídeo nas mídias sociais e Whatsapp e disse ao jornal O Estado de São Paulo que o objetivo dela foi sim fazer uma declaração contra a “ideologia de gênero”, referindo-se à sexualidade das crianças. “Fiz uma metáfora, mas meninos e meninas podem vestir azul, rosa, colorido, enfim, da forma que se sentirem melhores”.

O vídeo fora gravado logo depois do discurso de posse de Damares, em Brasília, na quarta-feira (02), no momento em que recebia os apoiadores em uma sala do ministério.

Para Maurício Gomes, ainda há esperança. “Temos que acreditar que o governo irá respeitar nosso povo e principalmente nossa constituição. Sabemos que muitas coisas devem ser melhoradas. Espero realmente que esse governo se paute nas reais necessidades. Cor, credo, opção sexual não darão ao povo brasileiro um esperança de país melhor”, lembra.

Muito mais urgente, argumenta, é a estabilização da economia, a queda dos juros, fornecer uma saúde pública de qualidade e educação em tempo integral às crianças e adolescentes, além de “fortalecer investimentos para abertura da industrialização, dar subsídios para fomentar o agronegócio, estudar a logística de transporte em nosso estado”.

Damares, no entanto, terminou a entrevista ao Estadão deixando claro que vai acabar com o “abuso da doutrinação ideológica de crianças e adolescentes no Brasil” por meio de uma “revolução que está apenas começando”, já que, palavras dela, “o Estado é laico, mas esta ministra é terrivelmente cristã”, que acredita “nos desígnios e propósitos de Deus”.

Os comentários estão encerrados.