17/04/2018 | 15:04

Gleisi: “Prisão política não tirou um só voto de Lula”

Presidenta nacional do PT comenta a Datafolha: “mesmo depois de ter se tornado um preso político, Lula não perdeu uma só intenção de voto”

O resultado da pesquisa Datafolha deste domingo (15) é claro como a luz do sol: mesmo depois de ter se tornado um preso político, Lula não perdeu uma só intenção de voto e continua liderando em todos os cenários, com mais que o dobro das intenções dos adversários mais próximos.

Esta é a realidade que se constata quando analisamos os três cenários de segundo turno, disputando com Marina Silva, Geraldo Alckmin e Jair Bolsonaro, respectivamente. Lula mantém os mesmos índices de 47% e 48% (cerca de 60% dos votos válidos) que tinha na pesquisa anterior à prisão política ilegal.

Os cenários de segundo turno são os únicos que podem ser comparados com a pesquisa anterior, e são eles que contêm a verdade estatística. Mas a Folha de São Paulo optou por manipular os dados e fez uma manchete que desqualifica seu próprio instituto de pesquisas.

Não é correto metodologicamente e é desonesto jornalisticamente afirmar, como fez o jornal, que Lula “perdeu votos” depois da prisão. Nenhum dos três cenários de primeiro turno da última pesquisa pode ser comparado com os da anterior, porque são listas diferentes de candidatos, e isso foi ressaltado na própria matéria. Nos cenários sem Lula, a maioria escolhe o voto nulo ou em branco.

E nem mesmo a vergonhosa manipulação na manchete da Folha consegue esconder o fato de que Lula segue sendo o líder disparado. Na verdade, Lula cresceu na preferência popular depois da prisão, como atestam os primeiros resultados de uma pesquisa Vox Populi, apontando que ele foi de 40% a 43% no voto espontâneo e de 45% a 51% no voto estimulado.

Diante desses resultados, que expressam não só o apoio a Lula, mas a esperança da maioria da população, soam ridículos os artigos e as notícias sem fonte sugerindo que o PT deve procurar ou já estaria procurando um plano B. Quem é a direita para ditar os rumos do PT? Quem não tem candidato – ou quer se livrar do candidato fascista que criaram – são eles.

Nós temos, há muito tempo, um candidato que já nem pertence mais ao PT, mas à ampla maioria do povo brasileiro. A Rede Globo e sua imprensa caudatária censuram os movimentos de resistência e solidariedade à Lula, que são notícia na mídia internacional. Não adianta: como demonstra a pesquisa, prenderam Lula ilegalmente, mas não conseguiram aprisionar os nossos sonhos.

Gleisi Lula Hoffmann é senadora (PT-PR) e presidenta nacional do PT

Os comentários estão encerrados.